Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

O GOLEM


A primeira vez que li a respeito do tal ‘GOLEM’ foi em um manual de escoteiros, há muitos anos atrás.
Ao que parece não é algo muito conhecido, nem mesmo aqueles que se interessam por assuntos místicos não sabem muito a respeito.
O Golem é uma criatura feita de barro (ou outro material inanimado), trazida a vida através de uma série de processos mágicos. Essa ‘entidade’ está associada as mais obscuras tradições místicas do judaísmo, especialmente a Kabalá. No hebraico moderno a palavra golem significa ‘tolo’ ou ‘estúpido’, também é uma derivação da palavra gelem, que significa ‘matéria-prima’.
Durante a idade média, vários contos sobre golens surgiram. Segundo alguns contos, escrever a palavra EMET na testa ou em uma placa de argila embaixo da língua era uma das formas de tornar o golem em um ser animado. Ao apagar a primeira letra da palavra EMET (da direita para a esquerda, lembrando que é assim que se escreve em hebraico) formando a palavra MET (“morto”) o golem era desfeito.

A mais famosa narrativa com um golem envolve o rabino Judah Levi, de Praga, durante o século XVI. Diz-se que ele teria criado um golem para defender o gueto de Josefov em Praga contra ataques anti-semitas. A primeira publicação da história do golem apareceu em 1847 em uma coleção de contos judaicos intitulada Galerie der Sippurim, publicada por Wolf Pascheles, de Praga.
Cerca de 60 anos mais tarde, um conto de ficção foi publicado por Yudl Rosenberg (1909). De acordo com a lenda, o golem teria sido feito com a argila do rio Moldava que banha Praga. Seguindo rituais específicos, o rabino construiu o golem e fez com que ele ganhasse vida recitando um encanto especial em hebreu e escrevendo na sua testa a palavra Emet, que em hebraico significa "verdade". O golem deveria obedecer ao rabino, ajudando e protegendo o gueto judaico.
Durante o dia, o rabino escondia o golem no sótão da Antiga-Nova Sinagoga. Porém, o golem cresceu e se tornou violento e começou a matar pessoas espalhando o medo. Foi então prometido ao rabino Judá Loew ben Betzalel que a violência contra os judeus pararia se o golem fosse destruído. O rabino concordou e destruiu o golem apagando a primeira letra da palavra Emet que formaria a palavra Met que significa "morto" em hebraico.

É possível que estas histórias tenham servido de inspiração para outros seres criados artificialmente como o homúnculos (Alquimia) e o conto de Frankenstein, obra de Mary Shelley.

Fontes e fotos: Wikipédia.


2 comentários:

Paulo Cheng disse...

Interessante essa história, disconhecia totalmente, mas é bom saber disso.

Abração pra ti.

Cassie disse...

Ouvi sobre esse assunto pela primeira vez num conhecido seriado e fiquei interessada sobre. Gostei de achar mais um pouquinho aqui no blog /o/

Template - Dicas para Blogs