Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

A Iniciativa 2045 - Imortalidade humana

Acredito que muitos leitores deste blog já devem ter ouvido falar da iniciativa 2045. Trata-se de um projeto idealizado por um empresário russo chamado Dmitry Itskov que prevê que o ser humano será capaz de fazer uma cópia digital de si mesmo até o ano de 2045. Desta forma a consciência humana ficaria armazenada em um “cérebro” sintético dentro de um hospedeiro também artificial. Assim como outros homens no passado, Itskov deseja obter a vida eterna. E para tal feito, planeja usar os avanços da ciência em diversas áreas do conhecimento humano.

O projeto já existe há alguns anos e foram gastos milhões de dólares em um plano chamado Projeto Avatar, que é parte da iniciativa, para tornar viável a manipulação adequada das estruturas neurais do nosso cérebro. Este plano é composto de quatro fases: A primeira fase, denominada ‘Avatar A’, precisa desenvolver um robô que é controlado pela mente humana. Dmitry almeja conseguir superar essa etapa até 2020. A segunda fase, Avatar B, seria o transplante de um cérebro humano para um corpo sintético (entre 2020 – 2025); Na etapa seguinte, ‘Avatar C’, o conteúdo de cérebros biológicos seriam carregados em um sintético (2025 – 2035), lembrando que não é possível viver para sempre com o cérebro natural já que ele é um elemento biológico e como tal também se deteriora com o tempo; e finalmente a última etapa, ‘Avatar D’, chegaríamos a substituir o corpo e o cérebro por um holograma, dotado de uma versão digital da consciência humana; espera-se chegar nessa fase até 2045. Apesar de não ser bem visto por grande parte da comunidade científica, o bilionário russo está confiante na viabilidade de se tornar “imortal”.

Evidentemente, o pretensioso projeto de imortalidade humana abre espaço para amplos e acalorados debates envolvendo questões filosóficas, éticas e religiosas. Por exemplo, os entusiastas do projeto acreditam que tudo, nossa personalidade, sentimentos, pensamentos e consciência está gravado no cérebro e como o órgão funciona com impulsos elétricos (energia), seria possível, em tese, criar uma cópia artificial que funcionasse dentro de um robô. Já muitos outros creem que existe algo de metafísico no ser humano (alma/espírito) que interage com a matéria orgânica. Dessa forma, mesmo que o conteúdo do cérebro pudesse ser totalmente reproduzido, não seria de fato VOCÊ que estaria vivendo, mas uma mera cópia... O tema é tão complexo que os colegas da iniciativa já pensam na criação de uma nova religião e um novo código de ética para lidar com as implicações de viver para sempre. Como se já não existisse...

Independe disso, parece que o projeto tem algumas falhas graves. Uma delas é o problema da quantidade de terabytes. Quantos teras ou petabytes seriam necessários para tornar um cérebro artificial tão bom quando o biológico? E a possibilidade de você ser literalmente hackeado e ter sua consciência roubada? Além do mais, como vimos, o projeto não prevê que a consciência funcione no corpo original, tornando esse tipo de imortalidade um tanto quanto “fake”. Não acredito que vai valer a pena viver em um robô. Entendo que a única forma de viver para sempre ou pelo menos prolongar o tempo de vida seria interromper o envelhecimento das nossas células; ainda assim estaríamos sujeitos a morte por acidentes ou assassinatos.

Enfim, a ideia de uma consciência que é transferida para um robô e depois transferida para um holograma é bastante utópica e nem sequer é nova; já se falava sobre isso nos anos 80/90. Tenho uma opinião formada sobre essa questão, e ela é bastante cética a respeito dessa maluquice. Não importa o quanto me chamem de cético ou “fanático religioso”, duvido muito que esse projeto tenha sucesso. Mesmo assim o tema é interessante. Esperemos até 2045 para ver o que acontece.... Quem viver verá.

Este é o site do Projeto: http://2045.com/


domingo, 19 de fevereiro de 2017

Um país entregue ao barbarismo, existe solução?

Essa semana eu e outros milhões de brasileiros tivemos o desgosto de ver o Supremo tribunal federal, a mais alta corte judiciária deste país, decidir pela indenização em dinheiro de um preso por viver em condições precárias na cadeia; abrindo precedente para uma possível enxurrada de processos do mesmo tipo contra os governos estaduais. Uma decisão desgraçadamente infeliz, especialmente quando vemos que existem muitos doentes em hospitais públicos que também estão acomodados em condições precárias, mas não são indenizados por isso.

A violência no Brasil tem aumentado de forma espantosa, a ponto de ninguém mais se sentir seguro caminhando nas ruas, eu mesmo já fui assaltado duas vezes em menos de um ano. Em outras regiões do país, policiais entraram em greve deixando as cidades entregues a cenas de barbárie e até pessoas que pareciam honestas foram vistas saqueando as lojas no Espírito Santo! Aliás, a sociedade brasileira se encontra em queda tão abrupta que mais parece que estamos nos tornando uma nação de bárbaros. Não há justiça; não há respeito à vida e a honestidade se tornou uma virtude tão rara que quando acontece vira notícia nos jornais. Apesar disso, NADA de concreto é feito pelas autoridades para mudar esse quadro sombrio.

Na verdade, temos governantes tão perversos que preferem ignorar o resultado do referendo de 2005 e DESARMAR a população civil, deixando assim as pessoas de bem indefesas, a mercê da bandidagem. Embora haja uma permissão teórica da posse de armas, na prática vemos que o sagrado direito de legítima defesa é negado em nosso país. Um pai de família, mesmo tendo todas as qualificações exigidas, não consegue comprar uma arma para proteger sua esposa e seus filhos.

Notaram o quão surreal é a situação por essas terras tupiniquins?
Aqui as autoridades desarmam os cidadãos e ao mesmo tempo protegem os bandidos, pagando até indenização para eles. É só você estuprar, sequestrar, praticar latrocínio que você é indenizado (parafraseando o Bolsonaro). Essa realidade maligna já está tomando ares de genocídio, pois são cerca de 60.000 assassinatos por ano ou mais, tornando o Brasil tão inseguro quanto algumas zonas de guerra no Oriente médio e na África. Sinceramente não sei o que será de nosso futuro se algo não mudar radicalmente.

Felizmente nem tudo está perdido, hoje mesmo centenas de pessoas em todo o Brasil se mobilizaram para novamente saírem as ruas, desta vez pedindo a revogação do Estatuto do desarmamento, entre outras reivindicações. Já é um começo... Porém, não é uma luta fácil. O Globalismo prefere ter em suas garras um povo indefeso, pronto para ser devorado por lobos famintos, e essa gente tem a mídia a favor deles, além de uma poderosa influência dentro das Universidades, nas ONG's e nos pretensos movimentos sociais; essas organizações são capazes de lançar pautas consideradas “conservadoras” em uma espiral de silêncio.

É necessário ter sabedoria, não adianta eleger Jair Bolsonaro como presidente e votar no ex-goleiro burro do seu time para deputado federal! Hoje o Congresso está infestado de “ratazanas” que só pensam nelas mesmas e que não pretendem realizar nenhuma mudança significativa em favor das pessoas. Se não elegermos uma quantidade suficiente de deputados comprometidos com os valores morais que sustentam a civilização ocidental, não vai adiantar muito colocar alguém “de direita” no executivo. A mobilização por uma mudança real em nossa triste realidade precisa começar desde já, e não apenas na política. Precisa avançar para outras áreas como as artes, a música, a educação pública, as igrejas, os meios de comunicação, etc...

As vezes as pessoas boas até são maioria, mas se calam diante da maldade e quando isso acontece a tendência é que o caos avance e se instale. Ou permitimos que isso aconteça ou lutamos pelo que ainda há de bom em nosso tempo. Que Deus tenha misericórdia dessa nação!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Livro Satã anda solto (resenha)

As vezes acontece de um bom livro sair de linha com o tempo, ele para de ser publicado e acaba se tornando uma raridade difícil de ser encontrada até mesmo na Internet. É o caso da excelente obra ‘Satã anda solto’. Escrito por Nicky Cruz, ex-líder de uma das piores quadrilhas de Nova York nos anos 50 (A gangue dos Mau-maus), e publicado pela editora Vida em 1975, o livro traz uma abordagem bem detalhada e bíblica sobre ocultismo, tema um tanto incômodo para muitos cristãos.



Eu li esse livro pela primeira vez quando era adolescente e reli novamente agora nas primeiras semanas de janeiro. Confesso que fiquei surpreso ao ver que uma obra com mais de 40 anos quase não sofreu obsolências ao longo do tempo e continua atual em muitos aspectos. Especialmente no que trata da batalha espiritual que o cristão empreende contra as forças das trevas.

O primeiro capítulo começa com Nicky relatando uma opressão satânica que teve enquanto voava para Chicago para se encontrar com um velho amigo chamado João Ambrose. Mais tarde, na casa deste amigo, ele atendeu uma moça chamada Olga, traumatizada por ter sido violentada em um culto de magia negra promovido por sua mãe em sua própria casa. As orações e os conselhos trouxeram conforto ao coração ferido da pobre jovem; mas na mesma noite o Senhor falou fortemente com Nick inspirando-o a escrever um livro sobre Satanás.

Os três capítulos seguintes descrevem os primeiros contatos do autor com o sobrenatural ainda quando era criança na Costa Rica, e como Deus salvou seus pais desse mundo... Sendo seu pai um famoso feiticeiro e sua mãe médium, Nicky pode presenciar desde cedo coisas estranhas acontecendo em sua casa, até mesmo curas e outros milagres. Ele jamais imaginava que tais coisas ocorriam pelo poder do Diabo e não de Deus.

Na seção seguinte aparecem alguns casos realmente interessantes. Começa com o caso de uma jovem que principiou a brincar com a Mesa de Ouija com um grupo de amigos quando era criança, parecia uma simples brincadeira no início, mas as crianças ficaram cada vez mais fascinadas com as respostas dadas por uma entidade desconhecida. O desfecho disso foi que aquelas crianças foram levadas a fazer um pacto com o Diabo (Aliás, o livro faz vários alertas contra a Mesa de Ouija, esse “jogo” é muito perigoso e não deve ser praticado por ninguém, especialmente pelos seguidores de Cristo). Nicky então conta uma experiência apavorante que ele próprio teve ao realizar uma cruzada jovem em uma pequena cidade sulista: Ele ficou hospedado numa pensão adquirida por um tal de reverendo Smith, organizador do evento. Segundo Nicky, havia algo naquele homem que não compatibilizava e um ar satânico parecia envolver aquela casa. Em uma das noites, ele conta, sentiu uma pesada sensação de iniquidade e o maligno caminhando no quarto, ouviu então um impulso imundo ordenando que estrangulasse Glória, sua esposa. Ele a acordou e os dois entraram em oração até que a presença opressora se dissipou Tempos depois ele ficou sabendo que alguns pais daquela igreja reclamaram da postura do Rev. Smith com relação aos jovens e um inquérito foi aberto. Após as investigações aquele homem foi destituído do pastorado por prática de homossexualismo com menores de idade.

Ainda neste capitulo Nicky conta sobre a época em que trabalhava no Centro Desafio Jovem e muitos jovens estavam sendo libertos das drogas. Deus agia poderosamente naqueles dias, e exatamente por isso ele não entendeu o que aconteceu em seguida: Um espírito maligno se instalou no Centro! Muitos moradores do local sentiram sua presença. Certa noite, angustiado, ele desceu para a sala principal afim de orar e encontrou outros cinco obreiros já fazendo o mesmo. Eles clamaram fortemente até que finalmente sentiram que aquele espírito destruidor se fora. Em seguida o autor descreve vários empecilhos que misteriosamente apareciam para dificultar e atrasar a edição do livro.

No entanto, um dos casos que mais me impressionaram está no capitulo ‘Os invasores’, onde Nicky relata a história fantástica vivida por um casal de amigos, Lou e Lana Rawle. Os dois haviam comprado uma casa em Encino, Califórnia. Uma magnífica mansão envidraçada, plantada em meio a exuberantes jardins cheios de árvores tropicais e flores, localizada no alto de uma colina onde se podia ver a cidade de Los Angeles; a casa dos sonhos de qualquer um. Mas havia um problema.... Uma entidade habitava aquela casa, um espirito mentiroso que dizia ser o antigo morador, um homem chamado ‘senhor Benson’. São tantos os incidentes estranhos relatados pelo casal que o texto ficaria muito longo se eu descrevesse todos aqui; mas é uma história que vale a pena ler.

Ao longo dos demais capítulos, outras histórias de pessoas que se envolveram com o ocultismo e conseguiram sair são contadas. Como a relato de Tim, um homem que se envolveu desde cedo com toda sorte de demônios e experiências psíquicas até ser alcançado através do evangelismo de uma jovem chamada Nancy. Em outro caso uma sacerdotisa bruxa invocava um demônio chamado Panandrio. Em outro ainda, um homem chamado G.H Estarbrooks se achava internado em um hospital quando resolveu fazer algumas experiências mentais para passar o tempo. Exercitando a autossugestão, ele chegou ao ponto de contar até cinco e conseguir “ver” um urso polar que atendia ao seu comando mental. O problema é que esse urso polar passou a aparecer quando Estarbrooks não queria e se recusava a ir embora. As vezes ele surgia de um canto escuro ou o assustava aparecendo onde menos se esperava que aparecesse um animal selvagem. A mente deste homem estava ficando muito perturbada, mas finalmente conseguiu se livrar do bicho após um intenso tratamento mental que durou um mês.

Nicky faz ainda diversos alertas sobre o crescimento das práticas ocultistas na América: Astrologia, quiromancia, bruxaria wicca, horóscopo, magia negra, cartas de Tarô, projeção astral, entre outras. Porém, ressalta que o poder de Jesus Cristo é muito maior do que qualquer poder que o Diabo possa ter e nega que um cristão autêntico, nascido de novo, possa ficar endemoniado. Assim como são muitos os casos sobrenaturais descritos, também são muitos os casos de conversões ao evangelho. Nicky termina o livro contando um milagre que Deus fez em uma de suas cruzadas, quando se sentia fraco e desanimado, O Espírito Santo o fortaleceu. Uma forte chuva caía e o evento onde ele pregaria estava ameaçado, pela violência do vento, achou que talvez não conseguisse terminar a reunião; mas levantou a voz em oração com as demais pessoas e quase instantaneamente a chuva cessou. Pode então dar seu testemunho e fazer um apelo onde centenas de pessoas vieram a Cristo. Logo após o término da reunião a chuva voltou.

Lamento que poucas pessoas vão conseguir achar esse livro para ler seu conteúdo edificante. Por isso fiz essa resenha um pouco maior do que o normal (talvez seja o 'feedback', mas completo sobre o livro em toda a web). O tema é um verdadeiro alerta à Igreja sobre as astutas ciladas do Diabo e também um testemunho do poder de Jesus Cristo, capaz de dissipar as mais densas trevas. Então, apesar de raro recomendo essa obra para quem conseguir encontrá-la. 

Deus abençoe a todos!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

A preocupação ecológica hipócrita e o consumismo

Recebi o relato abaixo pelo Whatsapp e não sei quem é o autor, mas achei muito interessante e resolvi compartilhar. Neste texto podemos refletir duas coisas:
A primeira é que a degradação do meio ambiente é um problema real, ligado ao consumismo exagerado; A segunda é que boa parte do discurso ecológico atual é hipócrita e interesseiro já que grande parte das pessoas NÃO ESTÁ disposta a abrir mão das muitas comodidades oferecidas pela modernidade.
Confira...

Na fila do supermercado, o caixa diz a uma senhora idosa:
- A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que
sacos de plástico não são amigáveis com o ambiente.
A senhora pediu desculpas e disse:
- Não havia essa onda verde no meu tempo.
O empregado respondeu:
- Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com o nosso meio ambiente.
- Você está certo - respondeu a senhora. Nossa geração não se preocupou adequadamente com o meio ambiente. Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.


Realmente, não nos preocupamos com o ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhávamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro, a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões de casa.
Não nos preocupávamos com o ambiente. Até as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. A secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas secadoras elétricas. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os filhos menores usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.


Mas é verdade: não havia preocupação com o ambiente, naqueles dias. Naquela época tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela de 14 polegadas, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado, como não sei
Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia batedeiras elétricas, que fazem tudo por nós. Quando enviávamos algo frágil pelo correio, usávamos jornal velho como proteção, e não plástico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar.
Naqueles tempos não se usava motor a gasolina para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam à eletricidade.


Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o meio ambiente. Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos.
Recarregávamos nossas canetas com tinta inúmeras vezes ao invés de comprar outra. Amolávamos as navalhas, ao invés de jogar fora aparelhos descartáveis, quando a lâmina perdia o corte. Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naquele tempo, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus coletivos e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar os pais como serviço de táxi 24 horas.


Havia só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E não precisávamos de GPS para receber sinais de satélites no espaço para encontrar a pizzaria mais próxima. Então, não é incrível que a atual geração fale tanto em "meio ambiente", mas não queira abrir mão de nada e não pense em viver um pouco como na minha época!?

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Objeto não identificado está vindo em direção a Terra.

Um objeto ainda não identificado está vindo em direção a Terra. O misterioso corpo celeste, apelidado de 2016 WF9, foi detectado no dia 27 de novembro de 2016 pela missão NEOWISE (projeto caça-asteroides da NASA), e tem a aproximação máxima da órbita da Terra prevista para o dia 25 de fevereiro de 2017.

Os especialistas não sabem dizer se é um cometa ou um asteroide, mas já sabem que é um objeto extremamente escuro e sem reflexo (segundo um cientista: "como carvão"). O 2016 WF9 também é relativamente grande, cerca de um quilômetro de extensão e nada se sabe sobre sua origem. Alguns supõem que ele possa ter se desprendido de outro cometa, ou mesmo ser um que perdeu a característica nuvem de poeira e gás com o tempo, chamada popularmente de "cauda". Caso se confirme como um cometa, este será o 10º descoberto desde a reativação da sonda em dezembro de 2013, após longo período de hibernação.  Apesar das dúvidas, os astrônomos garantem que ele não representa nenhum risco à Terra.

A NEOWISE também descobriu um outro corpo, denominado C/2016 U1. Este sim já foi definido claramente como sendo um cometa e poderá ser visto com um bom par binóculos a partir de 14 de janeiro; porém não com total certeza já que o brilho de um cometa pode ser bastante imprevisível. Após essa passagem o
C/2016 U1 retornará para os confins do Sistema Solar exterior em uma órbita que pode durar alguns milhares de anos.

Então, observaremos a passagem do C/2016 U1 na próxima semana e aguardaremos até o final de fevereiro para ver o que o 2016 WF9 realmente é...


Assista o vídeo tratando do assunto... 

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

O profundo significado do natal

Vivemos em uma época agitada, vivemos num tempo em que nosso egoísmo e superficialidade engolfou muitas tradições boas do passado e esse fato lamentavelmente atingiu o natal também. Parece que esquecemos da sublime razão desta festa dentro da cristandade: 
Jesus Cristo... O Verbo Divino que existe desde a eternidade, se fez carne e habitou entre os homens trazendo salvação e graça. O Filho do Criador do universo desceu à Terra, nascendo em uma humilde estrebaria de Belém! O simples meditar desta história já deveria encher o nosso coração de alegria, paz e reverência. Como é possível que hoje em dia as pessoas tenham esvaziado o natal do seu significado mais importante?

Singela e solene ao mesmo tempo. É assim que eu acredito que deveria ser a celebração do natal. Nada de festas em baladas, bares ou botequins, nada de músicas profanas, bebedeiras e confusões. É um momento especial, para estar junto da família, dos parentes, e dos amigos mais chegados, de preferência em uma casa cheia de crianças. Porque são elas, as crianças, com sua empolgação e espontaneidade, que emprestam todo um ar de “magia” à festa. Nem os adultos deveriam perder essa empolgação, pois é momento de praticar a caridade e a cordialidade cristã de maneira AINDA MAIS acentuada nesta época do ano! Mas... quando esquecemos do aniversariante, a tendência é que o natal não passe de um evento comum, útil apenas para aquecer as vendas do comércio.

Esse ano senti na própria pele minha empolgação pelas antigas tradições natalinas diminuírem. Isso me levou a “colocar o pé no freio”, meditar no assunto e escrever esse texto. Me perguntei: Por que? Será que foi porque eu cresci? Cheguei a conclusão que não. Lembro que tempos atrás os adultos também eram diferentes, pelo menos nesta época do ano. O amor pelo próximo e a lembrança de Jesus Cristo eram mais evidentes. Hoje, no entanto, vemos que até mesmo o que é belo, o que é nobre, e o que é respeitável tem sido rejeitado por uma sociedade cada vez mais corrupta. Porém, tudo isso corrobora com a afirmação bíblica de que nos últimos tempos o amor de muitos esfriaria. É a Palavra de Deus provando, mais uma vez, sua exatidão.

Eu sei, eu sei... Alguns vão argumentar que essa festa está cheia de elementos pagãos, que Jesus não nasceu nesta data e “blá blá blá”. Todo ano aparece uma legião de pseudo-teólogos e pesquisadores de Internet, alardeando essas informações aos quatro ventos, como se tivessem descoberto o ‘ovo de Colombo’. Cá entre nós.... Que gente chata! Como se esses elementos fossem diminuir a força que os cristãos deram ao natal. Esse pessoal não consegue entender que os antigos mitos pagãos é que foram cristianizados e não o contrário. A verdade e a realidade de Cristo prevalecem sobre as lendas.

Me despeço dizendo.... Comemorem o natal, mas de maneira correta! Se alegrem pelo fato de que, há mais de 2000 anos, o Filho de Deus veio até nós, pobres pecadores, cheio de graça e cheio de verdade para trazer salvação e luz a um mundo mergulhado em trevas. Qualquer outra motivação para celebrar o natal, que não seja essa, é vazia e desprovida de sentido. Vou deixar abaixo, um trecho bíblico sobre o nascimento de Jesus e uma linda coletânea de músicas natalinas, essas músicas costumam acalmar nossa alma agitada e trazer momentos de paz e boas lembranças.

Havia pastores que estavam nos campos próximos e durante a noite tomavam conta dos seus rebanhos. E aconteceu que um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor resplandeceu ao redor deles; e ficaram aterrorizados.
Mas o anjo lhes disse: "Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador que é Cristo, o Senhor.
Isto lhes servirá de sinal: encontrarão o bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura".
De repente, uma grande multidão do exército celestial apareceu com o anjo, louvando a Deus e dizendo:
"Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens aos quais ele concede o seu favor".

(Lucas 2:8-14)


FELIZ NATAL A TODOS!

Template - Dicas para Blogs